terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Predação

Larva de Piabanha (com 36 horas de vida) se alimentando de uma larva de lambari (Astyanax). (Imagem de Guilherme Souza)


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Contaminação no Rio Seco

Prefeitura de Joinville - Material de Imprensa 

Secretaria do Meio Ambiente e Defesa Civil monitoram rio atingido por óleo
Joinville, 
15/01/2015 14:18:02

A Defesa Civil e a Secretaria do Meio Ambiente de Joinville (Sema) monitoram o rio Seco, que foi atingido pelo derramamento de 12,4 mil litros de óleo de xisto, na tarde de quarta-feira (14), quando um caminhão tanque tombou no KM 16 da SC-418, na Serra Dona Francisca.  O veículo caiu em um barranco de 50 metros, próximo a um córrego. Praticamente toda a carga vazou. O motorista sofreu ferimentos leves.
Imediatamente, funcionários da Defesa Civil e da Sema foram acionados pela Central de Emergência (193) e iniciaram o monitoramento do leito do afluente do rio Cubatão. Quatro mantas absorventes são utilizadas na contenção da água contaminada com 12,4 mil litros de carga tóxica.
Três pontos, numa extensão de quatro a cinco quilômetros, passam pela fiscalização ambiental. Apenas um é de difícil acesso. “O ideal é que esse trabalho de retirada do óleo seja feito em, no máximo, 48 horas. Além disso, já instruímos os moradores da região a não beber ou utilizar essa água na criação de animais”, explica o coordenador de emergências ambientais, Jackson Seidel.
Polícia Militar Ambiental e técnicos da Sema fizeram a coleta do material, do solo e da água para análises em laboratório. Segundo Seidel, o óleo de xisto é uma substância viscosa, usada para mistura com asfalto, que pode causar riscos à saúde. A transportadora será autuada por dano ambiental e contaminação do solo e da água e receberá a multa após os resultados do laudo.
De acordo com o gerente da Defesa Civil, Márnio Luiz Pereira, há sensores por toda a Estação de Tratamento de Água do rio Cubatão (ETA), responsável por fornecer 70% da água de Joinville. “Caso for identificada a presença do produto químico na água, o abastecimento é rapidamente interrompido. Como não choveu no local, facilitou nosso trabalho de contingência. Assim podemos reduzir o dano ambiental”, informou o gerente da Defesa Civil.
Uma empresa de emergências ambientais foi contratada pela transportadora e realiza a sucção do material. A Companhia Águas de Joinville acompanha as ações e monitora a ETA do rio Cubatão para que o óleo não afete o abastecimento.
A Unidade de Emergência Ambiental da Sema atua desde 2013 em Joinville com um veículo contendo mais de 100 itens. É uma das 14 entidades municipais e estaduais que colocam em prática o Plano de Emergência de Produtos e Cargas Perigosas da Serra Dona Francisca.
O secretário do Meio Ambiente, Juarez Tirelli, disse que a Sema tem uma equipe especializada no atendimento a esse tipo de ocorrência. “Quando tem algum acidente com cargas perigosas na Serra, os técnicos são deslocados ao local para colocar em prática as medidas preventivas, de fiscalização e notificação necessárias”, disse.


Informações adicionais
Diego Rosa
Secretaria de Comunicação (Prefeitura Municipal de Joinville)
E-mail: drimprensa@gmail.com
Telefone: 

Voluntário no Parque Nacional da Serra da Bocaina

O ICMBio tem vagas para voluntários no Parque Nacional da Serra da Bocaina (RJ/SP).

As inscrições para participar do Programa de Voluntariado podem ser feitas aqui (http://goo.gl/fyig4m). Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail voluntariado.pnsb@icmbio.gov.br ou telefone (24) 3371-3056.

Veja o edital aqui

Parque Nacional da Serra da Bocaina

O Parque Nacional da Serra da Bocaina é uma das maiores áreas protegidas da Mata Atlântica e está localizado em um trecho da Serra do Mar, na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Entre seus principais atrativos turísticos destacam-se o Caminho de Mambucaba (mais conhecido como Trilha do Ouro), as cachoeiras de Santo Isidro, das Posses e do Veado, a Pedra do Frade e a Praia do Caxadaço.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Reprodução no Zoo Pomerode

Época de reprodução no Zoo Pomerode/SC (fotos de hoje)

Observamos um casal de hipopótamo (fêmea que está acasalando está apenas com o nariz para fora da água) e outra fêmea, a princípio, "mordendo" e empurrando o macho, além de parecer estar no aguardo.


Um pouco mais adiante, na caminhada pelo Zoo, pudemos ver os ursos iniciando a cópula.


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

COM TODO RESPEITO

Com todo respeito aos(as) amigos(as) engenheiros ambientais (e sanitaristas), e principalmente aos gestores, organizadores e governantes, mas isto tem que (começar a) acabar.



Que concorramos entre nós pelas áreas em comum, mas não podem monopolizar desta maneira. Ainda mais que é um cargo de meio ambiente, o qual tem tudo a ver com biologia.


Ainda no caso deste edital, uma vaga que os biólogos poderiam, ao menos tentar, concorrer a vaga de nível técnico - a qual o salário é 50% menor





Continuando assim, logo a biologia será "engolida" pela engenharia ambiental (já estamos nesta direção, a meu ver). Temos que trabalhar em conjunto, mesmo, e principalmente que tenhamos áreas de conflito/em comum. Uma coisa que eu presso e muito em minha vida, seja pessoal ou profissional, é o bem estar e pensar DE / EM TODOS, e não pensar somente em si, simples e unicamente no melhor para você, se aproveitar.

Link para ver edital - http://portodeimbituba.com.br/downloads/concurso.pdf

Não me passa nada mais na cabeça do que a frase: VERGONHA, BRASIL! E o ressentimento em ver a biologia, área tão importante para a população de modo geral, perder espaço e não ser tão valorizada como merece tanto pela própria população quanto pelos governantes (coloco aqui como se estivessem fora da categoria de população, devido ao fato de terem certo poder para decisões, discussões nos municípios, estados e país, portanto, nos concursos públicos)