Glândula ou olho pineal

Situada próximo ao centro do cérebro, entre os dois hemisférios. Esta 05 mm de diâmetro e fixada por meio de hastes. Tem forma ovóide e lembra um caroço de azeitona. O interesse pela glândula é bastante antigo, sendo estudos datam 300 anos antes de Cristo. René Descartes (1596-1650) a estudava e atribuía-a a função de sede da alma.

De lá pra cá, estudos diversos foram feitos. Muitos estudiosos crêem que ela seria simplesmente um órgão vestigial (que não tem função atualmente). Porém acha-se que, contribui no equilíbrio dos ciclos considerados vitais (sono, e na regulação dos esforços sexuais e reprodutivos). Ainda com estes estudos, se descobriu que a glândula pineal apresenta metabolismo intenso e grande captação de substâncias como aminoácidos, fósforo e iodo.

O funcionamento desta glândula está diretamente relacionado à luminosidade que atinge os seus receptores celulares na retina e que trafegam pelo sistema nervoso central passando pelo núcleo supraquiasmático (nosso relógio biológico. O núcleo orienta as funções de todo o corpo por meio da glândula pineal, sempre obedecendo à luminosidade - http://super.abril.com.br/superarquivo/2000/conteudo_118115.shtml).

“Algumas experiências realizadas com roedores indicam que esta glândula pode exercer profunda influência sobre a performance de drogas como a cocaína, e de antidepressivos, especialmente a fluoxetina, no organismo.” (INFOESCOLA)

Acredita-se que é uma espécie de terceiro olho atrofiado (Oriente, Paleontologia, Zoologia – há indícios, como pode-se verificar na texto http://www.portalbrasil.net/educacao_seresvivos_vertebrados_peixes.htm)

FONTES e para um estudo mais apurado:

Comentários

Postagens mais visitadas