Pular para o conteúdo principal

Vantagens e Desvantagens do Recife Artificial Marinho (RAM)



Recifes Artificiais Marinhos são utilizados como ferramenta de recuperação da Fauna e Flora Marinha. Estudos realizados por Padilha e Henkes (2012); Pizzatto (2004) indicam que além da recuperação da fauna e da flora marinha, a utilização da técnica de implantação de Recife Artificial Marinho (RAM) impede a utilização da temida “pesca de arrasto”.
Na década de 50 iniciaram a produção de recifes de concreto, que hoje é utilizado em vários países do mundo, inclusive no Brasil. Sendo o concreto uma pedra artificial que mais se assemelha com uma rocha, permite a conservação da biodiversidade e a recolonização dos ambientes por organismos como: lagosta, polvo, camarão, peixes, mexilhões e outros. Além do desenvolvimento marinho, os recifes artificiais possibilitam a utilização da área como local de estudo, lazer e exploração racional dos recursos (KREFER et al.).
Os RAM podem desempenhar um importante papel na gestão da atividade pesqueira tendo em vista a sua capacidade de atrair peixes criando alternativas tanto para a pesca esportiva quanto para a pesca artesanal. (PADILHA e HENKES, 2012 apud BELL, 2010).
Uso dos recifes artificiais para fins comerciais teve início por volta de 1830. Já na Austrália e França, essa prática é mais recente, com iniciativas datando de 1960 (CONCEIÇÃO e NETO apud MEIER, 1989).
Embora existam diversos registros que comprovam a eficiência dos RAM, a literatura especializada registra alguns casos de insucessos. Muitos pesquisadores veem os RAM como algo controverso, alegando que esses novos ambientes inicialmente atraem os peixes, concentrando-os nessas áreas e deixando-os mais vulneráveis à exploração. Afirmam que a única maneira de minimizar esta exploração é com o estabelecimento de uma fiscalização adequada e eficiente nessas áreas (PADILHA e HENKES, 2012 apud SALEM, 2008).
Talvez uma das maiores preocupações ambientais sobre a instalação de recifes artificiais de pneus no mar seja o efeito em longo prazo desses materiais no meio aquático. A hipótese de contaminação pela decomposição dos pneus no mar é descartada por alguns autores, já que o processo de degradação dos pneus é muito mais lento que a sua colonização e cobertura por organismos incrustantes (CONCEIÇÃO e NETO).

Referências
CONCEIÇÃO, Raimundo Nonato de Lima;NETO, Cassiano Monteiro. Recifes Artificias Marinhos. Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento.

PADILHA, Renato de Almeida; HENKES, Jairo Afonso Henkes. A utilização de recifes artificiais marinhos como ferramenta de recuperação da fauna marinha. Revista Gest. Sust. Ambient., Florianópolis, v. 1, n.1, p. 41-73, abr./set. 2012.

PIZZATTO, Raquel. Avaliação dos Impactos Ambientais do Programa Recifes Artificiais Marinhos do Paraná – Programa RAM. TCC – Engenharia Ambiental – CCET/PUCPR, 2004

Comentários

> Mais acessadas

PROTEÍNAS E SUAS ESTRUTURAS: Secundária, Terciária e Quaternária.

As proteínas são as macromoléculas constituídas por unidades, chamadas de aminoácidos, 20 tipos básicos, e concluem cerca de 50% do peso seco das células. Existem diversos tipos de proteínas, sendo essas especializadas em alguma função biológica. A complexidade das proteínas depende da posição e quantidade dos aminoácidos ao longo da sua cadeia, fazendo com que elas de diferenciem uma das outras e assim determinando suas respectivas funções.Os aminoácidos que estão presentes nas proteínas se encadeiam pelas ligações peptídicas. Uma ligação peptídica é a união do grupo amina (-NH2) de um aminoácido com o grupo carboxila (-COOH) do outro aminoácido, formando uma amida, liberando uma molécula de água.Como as proteínas possuem uma grande variedade de funções são divididas em Estruturais e Dinâmicas.Estruturais: por exemplo, o colágeno e elastina que promovem a sustentação estrutural da célula e dos tecidos;Dinâmicas: transporte (ex: hemoglobina), defesa, catálise de reações…

Principais atividades humanas responsáveis pela emissão de gás carbônico

2ª Jornada Técnica Festa das Flores

Festa das Flores mais uma vez com jornada técnica ... Quem se interessar, segue a programação: