Pular para o conteúdo principal

Curso de Ecologia Quantitativa (Bioestatística) aplicada à Biologia da Conservação

 
Curso de Ecologia Quantitativa (Bioestatística) aplicada à
Biologia da Conservação

 
     
 
Como aplicar testes estatísticos no desenvolvimento da pesquisa científica?
 
     
 
17 a 21 de julho de 2013
 
 
 
 
No planejamento das etapas de coleta, interpretação e análise de dados, a Ecologia Quantitativa é uma ferramenta de grande utilidade, que auxilia o pesquisador a organizar as idéias e obter respostas diretas e objetivas às perguntas formuladas em seu trabalho.
PÚBLICO-ALVO
Profissionais da área ambiental que desenvolvem pesquisa em campo e alunos envolvidos em programas de mestrado ou doutorado.
CONTEÚDO
- O conhecimento da metodologia científica e da filosofia dos testes estatísticos para orientar a escolha dos métodos de trabalho;
- O uso de testes e pacotes estatísticos para a análise de dados em pesquisas nos campos da ecologia, da história natural e da biologia da conservação;
- Aspectos da comunicação científica para a produção de teses de mestrado, doutorado e para a publicação de trabalhos em periódicos.
Exemplos de testes e análises que podem ser abordados durante as aulas (a escolha dos testes tratados durante o curso dependem do perfil e demanda dos participantes, identificada e discutida no primeiro dia de aula):
- A lógica da estatística inferencial
- Tipos de variáveis e testes estatísticos
- Elaboração de hipóteses
- Poder de teste e delineamento amostral
- Utilização de softwares estatísticos
- Qui-quadrado
- Teste para amostras dependentes
- Análise de variância (ANOVA): simples, fatorial e medidas repetidas
- Testes não-paramétricos (Teste U, Kruskall-Wallis, Teste de Wilcoxon,)
- Regressão linear simples e múltipla
- Estimativa de riqueza de espécie a partir de técnicas de reamostragem (Jackniffe).
INSTRUTOR
Marcos Vinícius Carneiro Vital
- Trabalha atualmente com Ecologia Teórica, Conservação da Biodiversidade e Evolução.
- Professor de Ecologia Experimental e Modelagem em Diversidade Biológica na Universidade Federal de Alagoas.
- Doutor em Entomologia pela Universidade Federal de Viçosa.
- Mestre em Biologia (área de concentração: Ecologia) pela Universidade Federal de Goiás.
- Biólogo formado na Universidade Federal de Viçosa (MG).
INVESTIMENTO
À vista: R$ 1.360,00*
Parcelado: R$ 1.360,00 (primeira parcela R$ 490,00 + 3x R$ 290,00)
O valor de curso inclui 5 dias dehospedagem, refeições diárias, material didático e certificado de participação. O IPÊ oferece traslado gratuito em horário pré-determinado (Aeroporto de Guarulhos – IPÊ e Rodoviária de Atibaia – IPÊ. O CBBC não cobre despesas de viagem.
* Valor com desconto para pagamento antecipado.

Comentários

> Mais acessadas

PROTEÍNAS E SUAS ESTRUTURAS: Secundária, Terciária e Quaternária.

As proteínas são as macromoléculas constituídas por unidades, chamadas de aminoácidos, 20 tipos básicos, e concluem cerca de 50% do peso seco das células. Existem diversos tipos de proteínas, sendo essas especializadas em alguma função biológica. A complexidade das proteínas depende da posição e quantidade dos aminoácidos ao longo da sua cadeia, fazendo com que elas de diferenciem uma das outras e assim determinando suas respectivas funções.Os aminoácidos que estão presentes nas proteínas se encadeiam pelas ligações peptídicas. Uma ligação peptídica é a união do grupo amina (-NH2) de um aminoácido com o grupo carboxila (-COOH) do outro aminoácido, formando uma amida, liberando uma molécula de água.Como as proteínas possuem uma grande variedade de funções são divididas em Estruturais e Dinâmicas.Estruturais: por exemplo, o colágeno e elastina que promovem a sustentação estrutural da célula e dos tecidos;Dinâmicas: transporte (ex: hemoglobina), defesa, catálise de reações…

Principais atividades humanas responsáveis pela emissão de gás carbônico

2ª Jornada Técnica Festa das Flores

Festa das Flores mais uma vez com jornada técnica ... Quem se interessar, segue a programação: