Pular para o conteúdo principal

Nomear espécies descobertas


Ao identificar uma nova espécie, seu descobrir escolhe, em geral, uma referência para nomeá-la: local da descoberta, características físicas, aspectos de comportamento… No caso do biólogo Frederico Augusto de Atayde Lencioni, a inspiração tem origem, digamos, mais pessoal."

http://cienciahoje.tumblr.com/post/57618990586/batismo-musical-ao-identificar-uma-nova-especie


Fonte da imagem: Tumblr Ciência Hoje

Estava lendo o post de onde veio essa citação, do Tumblr do Ciência Hoje, e me veio a pergunta, essa prática é boa (até que ponto) para a ciência? Segundo o blog Lencioni não trabalha diretamente na área, mas tem aproveitado as pesquisas nas horas vagas: especialista em libélulas, já descobriu 15 espécies desses animais, batizadas, por exemplo, em homenagem a membros de sua família, como sua mãe, esposa e filhos. A última de Lencioni foi utilizar os nomes dos integrantes do Queen (imagem acima) - Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon.

O bom é que está havendo novas descobertas de espécimes, mas não levar o lado científico para nomear as espécies, acaba sendo, no mínimo, criativo e bem humorado. E essa prática, tem alguma interferência na ciência? E ai o que vocês acham?

E para informar "ainda não há planos para o lançamento do primeiro DVD desse grupo animal"

Comentários

  1. Qual é a sua opinião Thiago? Eu fiquei curioso, e infelizmente não achei nenhum comentário ainda sobre o que você descreveu como : "não levar o lado científico para nomear as espécies, acaba sendo, no mínimo, criativo e bem humorado. E essa prática, tem alguma interferência na ciência? E ai o que vocês acham?" ?

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Fred,
    primeiramente peço desculpas por não lhe responder de imediato, pois é difícil levar o blog paralelo as atividades cotidianas de trabalho fora da biologia.

    Não sou taxonomista, utilizei da taxonomia (identificar peixes por meio de ossos em sambaquis) para realizar meu trabalho de conclusão de curso da graduação. Como comentei na postagem eu acho criativo e bem humorado esta prática. Na minha percepção não vejo problemas em ter inspiração "não científica" para nomear os animais. Importante é continuarem as descobertas. Mas provavelmente tem profissionais que não gostam desta prática, concorda? Profissionais que são mais clássicos, por exemplo.

    Obrigado pelo envio do comentário
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Prezado Thiago,

    Com certeza tem muitas pessoas que criticam e sinceramente isto nunca me incomodou, porque a maioria das pessoas não procura saber antes de criticar, só para citar alguns exemplos do motivo da minha homenagem a eles :

    Brian Harold May (guitarrista do Queen) - Astrofísico com trabalho publicado na revista Nature (duvido que alguém dos que me criticou -- entre eles o ex-editor da Zootaxa onde publiquei o trabalho -- já publicou, ou irá publicar, na Nature), fundador de uma ONG (Save me - www.save-me.org.uk) que visa o fim do tratamento cruel aos animais, junto com Roger Taylor (baterista do Queen) e o agente deles (Jim Beach) fundaram em 1994/5 a Mercury Phoenix Trust que arrecadou US$ 15 milhões de dólares para 700 projetos na luta contra HIV/Aids (duvido que alguém dos que me criticou - já arrecadou algo), somente por serem membros de uma banda de rock há algum tipo de reação, se eu tivesse descrito para qualquer um dos críticos eles achariam que, já que são "cientistas" nada mais justo do que serem homenageados!!!! O mesmo cara que criticou a descrição das espécies em homenagem ao Queen foi homenageado com a primeira espécie que descrevi e neste caso ele achou a homenagem justa e não fez nenhuma consideração -- engraçado né!!

    Desculpe a demora em lhe responder.

    Abraços,

    Fred

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário...

> Mais acessadas

PROTEÍNAS E SUAS ESTRUTURAS: Secundária, Terciária e Quaternária.

As proteínas são as macromoléculas constituídas por unidades, chamadas de aminoácidos, 20 tipos básicos, e concluem cerca de 50% do peso seco das células. Existem diversos tipos de proteínas, sendo essas especializadas em alguma função biológica. A complexidade das proteínas depende da posição e quantidade dos aminoácidos ao longo da sua cadeia, fazendo com que elas de diferenciem uma das outras e assim determinando suas respectivas funções.Os aminoácidos que estão presentes nas proteínas se encadeiam pelas ligações peptídicas. Uma ligação peptídica é a união do grupo amina (-NH2) de um aminoácido com o grupo carboxila (-COOH) do outro aminoácido, formando uma amida, liberando uma molécula de água.Como as proteínas possuem uma grande variedade de funções são divididas em Estruturais e Dinâmicas.Estruturais: por exemplo, o colágeno e elastina que promovem a sustentação estrutural da célula e dos tecidos;Dinâmicas: transporte (ex: hemoglobina), defesa, catálise de reações…

Principais atividades humanas responsáveis pela emissão de gás carbônico

2ª Jornada Técnica Festa das Flores

Festa das Flores mais uma vez com jornada técnica ... Quem se interessar, segue a programação: