Pular para o conteúdo principal

Como a glicose entra na célula?



A glicose, C6H12O6, é um importante carboidrato (monossacarídeo) para o organismo, pois é a partir dessa molécula adquire-se energia necessária para realizar todas as reações do nosso corpo. A energia é liberada na forma de ATP, que, ao perder um radical fosfato, libera aproximadamente 8.000 calorias, formando ADP.
No nível da membrana citoplasmática, a difusão representa a passagem de soluto de um meio hipertônico (mais concentrado) para um meio hipotônico (menos concentrado). Para que ocorra a difusão, a membrana deve ser permeável ao soluto em questão. Em geral, partículas menores se difundem mais rapidamente pela membrana. Observa-se que monossacarídeos, aminoácidos e sais minerais iônicos apresentam maior velocidade de difusão, ao contrário das proteínas e polissacarídeos que necessitam ser capturados pela célula.
Ou seja, a glicose transporta-se por difusão facilitada, dependendo também da presença de proteínas transportadoras na superfície das células. Essas proteínas de 50-60 kDa, são denominadas GLUTs 1 a 14 em ordem cronológica de caracterização. Embora possua quatorze transportadores, parece que as cinco primeiras variantes descritas parecem ser as principais, e têm sido foco de estudos que buscam caracterizar os fluxos de glicose, tanto em situações fisiológicas como fisiopatológicas. Podendo haver transporte acoplado a Na+ e proteínas transportadoras SGLTs.
A análise hidropática das seqüências primárias dos GLUTs sugere a existência de 12 segmentos transmembrânicos hidrofóbicos (S), alguns formando verdadeiras α- hélices perpendiculares ao plano da membrana plasmática, que representam verdadeiros poros ou canais através dos quais a molécula de glicose pode cruzar a membrana. As terminações NH2 e COOH são citoplasmáticas, uma grande alça de conexão é encontrada entre os segmentos S6-S7, e um potencial sítio de N-glicosilação é encontrado na alça extracelular de conexão entre S1-S2. Do mesmo modo, os SGLTs também apresentam 12 segmentos transmembrânicos, a alça extracelular de ligação entre S5 e S6 é potencial sítio de glicosilação, e as terminações NH2 e COOH também estão localizadas no citosol, no entanto, o domínio COOH altamente hidrofóbico, deve encontrar-se em contato direto com a superfície interna da membrana plasmática.
O amido, por ser um polímero de glicose, quando sofre a ação da enzima amilase, quebra-se em várias moléculas de glicose. Isso significa que ao ingerirmos alimentos ricos em amido, estamos consequentemente ingerindo glicose.
Quando se ingere uma alta quantidade de glicose, o organismo utiliza o que necessita e o excesso é enviado para o fígado, que transforma a glicose em glicogênio e ela fica armazenada em nosso fígado, aumentando a concentração de glicogênio. Quando o mesmo está em nível alto, o fígado começa a quebrar o glicogênio excedente, mandando-o para a corrente sanguínea, aumentando a concentração de glicose no sangue. Como a concentração de glicose no sangue está alta, automaticamente o pâncreas começa a produzir o hormônio insulina, que manda essa glicose para dentro das células dos músculos para ser transformada em glicogênio.

REFERÊNCIAS
MACHADO, Ubiratan Fabres. Transportadores de glicose. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 1998, vol.42, n.6, pp. 413-421. ISSN 0004-2730.
MACHADO, Ubiratan Fabres; SCHAAN, Beatriz D.  and  SERAPHIM, Patrícia M.. Transportadores de glicose na síndrome metabólica. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2006, vol.50, n.2, pp. 177-189. ISSN 0004-2730.

Comentários

> Mais acessadas

PROTEÍNAS E SUAS ESTRUTURAS: Secundária, Terciária e Quaternária.

As proteínas são as macromoléculas constituídas por unidades, chamadas de aminoácidos, 20 tipos básicos, e concluem cerca de 50% do peso seco das células. Existem diversos tipos de proteínas, sendo essas especializadas em alguma função biológica. A complexidade das proteínas depende da posição e quantidade dos aminoácidos ao longo da sua cadeia, fazendo com que elas de diferenciem uma das outras e assim determinando suas respectivas funções.Os aminoácidos que estão presentes nas proteínas se encadeiam pelas ligações peptídicas. Uma ligação peptídica é a união do grupo amina (-NH2) de um aminoácido com o grupo carboxila (-COOH) do outro aminoácido, formando uma amida, liberando uma molécula de água.Como as proteínas possuem uma grande variedade de funções são divididas em Estruturais e Dinâmicas.Estruturais: por exemplo, o colágeno e elastina que promovem a sustentação estrutural da célula e dos tecidos;Dinâmicas: transporte (ex: hemoglobina), defesa, catálise de reações…

Principais atividades humanas responsáveis pela emissão de gás carbônico

2ª Jornada Técnica Festa das Flores

Festa das Flores mais uma vez com jornada técnica ... Quem se interessar, segue a programação: